A História da Patinagem de Velocidade

A Patinagem de Velocidade tem a sua origem nas Corridas de Patins. A prática desta disciplina em Portugal ascende ao ano de 1912, onde foram dados os primeiros passos da modalidade ainda como competição de demonstração.

Rogério Futsher foi o pioneiro da modalidade ao compilar e publicar vários documentos e artigos divulgando os primórdios da patinagem. Rogério Futsher fundou o Hockey Club de Portugal, clube que representou nas Corridas de Patins. A imagem mais antiga que se conhece das Corridas de Patins é da inauguração do rinque dos Recreios Desportivos da Amadora com as dimensões de 14X12, do dia 24 de Agosto de 1912.

Em Julho de 1914 é inaugurado o rinque de patinagem do Desportos de Benfica na Avenida Gomes Pereira onde muitos patinadores participavam nas várias provas de corridas, saltos e tracção.

A história das Corridas de Patins é marcada por duas fases que correspondem a acontecimentos marcantes na vida da modalidade. A primeira fase corresponde à época que vai desde o início – mais ou menos regular – da prática da modalidade até ao ano de 1953, onde atingiu um nível técnico que permitiu estabelecer raízes profundas adquirindo a vitalidade necessária para resistir ao intervalo que mediou a primeira e a segunda fase, ou seja, de 1953/54 a 1978.

Em 1979 a Federação de Patinagem de Portugal liderada por José Castel-Branco “sentiu” a necessidade de reiniciar em Portugal a disciplina das Corridas de Patins.

Dá-se assim o início da segunda fase da História das Corridas de Patins que conseguiu atingir excelentes níveis de desenvolvimento.

José António Neves de Carvalho foi um grande impulsionador da modalidade nesta segunda fase. Primeiro como atleta, depois como dirigente e mais tarde fazendo parte do Comité de Corridas desde a sua criação.